Wizorb: combinação inusitada entre RPG e breakout chegando na XBLIG e PC


Ousar e juntar coisas distintas para que estas possam conviver interligadas sem desproporção é um desafio enorme, independente do esforço depositado, os riscos ainda estão ali, e podem derrubar grandes expectativas. Jonathan Lavigne, um dos desenvolvedores por traz do game Scott Pilgrim vs. the World e o gratuito Ninja Senki (download AQUI), descarta quaisquer riscos que uma junção de coisas distintas poderia propor, e Wizorb, seu novo game a caminho do PC e Xbox 360, é mais uma prova de que ousar é nada muito além de um caminho um pouco mais longo para o sucesso.

Wizorb é um RPG, mas ao mesmo tempo também é um breakout, o que significa que rebater bolinhas como nos clássicos games de arcade da época em que este gênero estava em alta, é uma realidade que Wizorb está disposto a proporciona adicionando essa façanha no sistema de batalhas adotado no game, que ao invés do convencional no qual os mais habituados com o gênero RPG estão de uma certa forma, acostumados, Wizorb encarrega-se de quebrar esse clímax atuando em outro patamar de combates ao gênero nunca visto antes.

Praticamente finalizado, por assim dizer, pois a recém fundada desenvolvedora Tribute Games, atual responsável por Wizorb, anunciou há pouco tempo que a versão para Xbox 360 de Wizorb vai estar disponível na XBLIG para futuras aquisições no dia 29 de setembro. Sobre a versão para PC, nada foi divulgado à respeito, todavia segundo o próprio Jonathan Lavigne, mas informações serão liberas com o decorrer do tempo, agora é aguarda pela versão de Xbox 360 e mais informações acerca do game no PC.

[MAIS INFORMAÇÕES]

Gunpoint: infiltrações em edifícios de segurança máxima nunca pareceu tão divertido

O escritor Tom Francis da revista PC Gamer alguns meses atrás apresentou um protótipo de um game (confira através do vídeo abaixo) em que estava envolvido no desenvolvimento com direito a vídeo e tudo, o protótipo apresentado, um tanto cru por sinal, mas de fato competente, recentemente demonstrou que não trata-se apenas de uma empreitada qualquer em horários vagos do escritor de uma revista conceituada, mas um game grande, nada extravagante, todavia sério.

Intitulado Gunpoint, o game é baseado em infiltrações dentro de edifícios de segurança máxima em que um espião precisa driblar tanto a segurança reforçada dos mesmos como os próprios seguranças decorrentes para então acessar base de dados importantes e realizar serviços de espionagem profissional muito exitantes.

Atualmente Gunpoint conta com Tom Francis encarregado no desenvolvimento, e John Roberts e Fabian Van Dommelen encarregados na arte, que aliás, demonstrou à que veio através de recém liberadas screenshots incríveis daquilo que Gunpoint não apresentou no seu protótipo, portanto não deixe de conferi-las AQUI.

Gunpoint será liberado para PC no finalzinho deste ano às vésperas natalinas inteiramente de graça. :D

[MAIS INFORMAÇÕES]

Preview: Happily Ever After (Honeyslug)

Temáticas infantis adotadas em games deste nicho muitas vezes não são bem sucedidas e acabam quase sempre explorando meios fúteis como a chata brincadeira de colocar cores em desenhos pré-definidos (desculpe-me crianças), mas existem games com temáticas infantis interessantes, ainda que fazendo deste nicho uma realidade um pouco melhorada.

Poucos dias atrás a desenvolvedora Honeyslug liberou uma versão demo (download AQUI) do seu próximo game Happily Ever After, e este é um exemplo de game que, embora não seja exatamente destinado ao público infantil, recicla contos clássicos de maneira agradável dentro da sua ideia em tese para tentar ser um prato cheio para todas as idades.

Happily Ever After é um puzzle game de aventura onde o nosso personagem é um blogueiro destinado a encontrar soluções cabíveis para acontecimentos estranhos após uma série de pedidos desconhecidos terem sido submetidos a ele. Repleto de referências fantasias de contos, Happily Ever After fará seu cérebro aquecer enquanto você estiver encarando a variedade de puzzles disponíveis de todos os sabores, caça objetos inteligentes, e tudo isso através de um visual infantil muito adorável.

O lançamento de Happily Ever After está previsto para muito em breve no PC/Mac ($10 dólares) e iPad ($3 dólares) numa data ainda não definida.

[MAIS INFORMAÇÕES]

Toren: game brasileiro em desenvolvimento com proposta interessante

Uma vez ou outra surgem games brasileiros que conseguem demonstrar algo bacana, como por exemplo, o recém divulgado ao mundo Toren, que consegue cativar argumentando seus conceitos, inspirações e influências recebidas de The Legend of Zelda, Braid e até o mestre Hayao Miyazaki.

Atualmente o game está em desenvolvimento por um pequeno time de integrantes representados pela sua desenvolvedora intitulada Swordtales, e pouco se sabe com detalhes sobre o game em si, mas algumas informações foram entregues, e é segundo estas informações que sabemos que Toren trata-se de um game que pretende propor um conceito intrigante através de explorações e puzzles em uma ambientação totalmente tridimensional na qual uma princesinha ganha a cena. Certos assuntos refletivos, poéticos e questionáveis são abordados pela ideia central de Toren; há uma arvore, a princesinha, e também um cavaleiro sendo trabalhados numa história de fundo que promete ser bastante cativante e bem planejada para uma experiência autentica.

Toren está previsto para PC, mas sem data de lançamento, meios de comercialização que serão adotados e valor comercial divulgados.

[MAIS INFORMAÇÕES]

Vessel: o melhor da física baseada em líquidos num game de plataforma em 2D

No ano passado, em meio aos finalistas do IGF daquele ano, o curioso game Vessel da Strange Loop Games estava entre os finalistas na categoria “Technical Excellence”, mas somente agora, meses depois do seu intrigante conceito ser apresentado, que finalmente detalhes maiores sobre Vessel são devidamente entregues através de recentes repostas vindas da própria Strange Loop Games à respeito.

Antes de mais nada, Vessel é um típico game de plataforma em 2D que mistura ação e puzzles, mas com um diferencial técnico incomum, há muita física em todos os lugares, todavia e mais especificamente, no motor de física líquida adotado, que consegue dar vida a qualquer coisa baseada em líquidos de uma maneira incrível.

Você entra no mundo de Vessel como Arkwright, um inventor notório diante o mundo graças a sua maior crianção intitulada Fluro — fluídos líquidos movimentados mecanicamente perante um autômato. Porém algo imprevisto acontece as criações de Arkwright, e é a partir daí que você, como jogador, entra em cena para tentar conter o avanço precoce das criações desse brilhante inventor.

A Strange Loop Games compartilhou recentemente um lindo trailer de Vessel, o que significa que você só precisa apertar “play” no vídeo abaixo para conferir um pouco do que estar por vir. :D

Segundo uma recém publicada preview de Vessel no site Game Informer, o game será lançado para PC, Xbox 360 (via XBLA) e Playstation 3 (via PSN) até o final do ano por $15 dólares.

[MAIS INFORMAÇÕES]

Intrigante game They Bleed Pixels da Spooky Squid Games a caminho da Xbox Live Indie Games

Está chegando ao Xbox Live Indie Games em algum momento deste verão no hemisfério norte o inusitado game They Bleed Pixels da desenvolvedora Spooky Squid Games. They Bleed Pixels é um game fast-paced de plataforma e beat ‘em up no qual uma jovem menina assombrada por um misterioso livro é destinada a lutar contra monstruosas criaturas em cenários desafiadores cheios de coisas fatais como serras e spikes por todos os lados e lugares.

Uma das grandes façanhas por traz deste game é a sua mecânica apurada na ação dos combates, que além de ser tratada de modo simples em um esquema de combates de um único botão, possibilita a fácil manipulação dos monstros até um ponto fatal visível do cenário, que ainda por cima propõe recompensas ao jogador conforme a elegância nas mortes desses monstros, tornando os combates entre essas criaturas monstruosas muito mais fluídos, enfim… o vídeo conferível logo abaixo pode ajudá-lo a compreender melhor este game.

Dentre alguns outros detalhes técnicos notáveis de They Bleed Pixels está: o seu visual intrigante com uma influência em pixel art, que neste caso é melhor identificada com a suave estilização de papel e suas texturas de tintas obscuras; e também o estilo musical gothic lo-fi (por DJ Finish Him) adotado, que é realmente incrível.

Como ainda são poucas informações divulgadas sobre They Bleed Pixels, fico devendo uma coisa ou outra assim que o mesmo alcançar a XBLIG.

[MAIS INFORMAÇÕES]

Novo roguelike “Dungeons of Dredmor” chegando para os amantes do gênero

Dungeons of Dredmor, game roguelike em típicos cenários dungeon crawler da desenvolvedora Gaslamp Games, aproxima-se cada vez mais do seu lançamento oficial, que para todos os efeitos está previsto ainda para este mês de maio. Dungeons of Dredmor fascina corações com sua promessa acerca de um notável apreço pela boa representação de clássicos do gênero roguelike com bons requintamentos numa interface em point-and-click, que ao que tudo indica, será um prato cheio para novatos e veteranos.

Muitos detalhes bobos, que incluem o bom humor estão implementada de forma incrível em Dungeons of Dredmor, talvez o game em si seja uma bobagem deliciosa de ser apreciada, com um gameplay que consiste nas familiaridades do gênero, onde você explora diversos níveis gerados aleatoriamente dentro de masmorras infestadas de armadilhas, tesouros e alguns monstros fofinhos e medonhos talvez nunca vistos antes (exclusividade de Dungeons of Dredmor), e claro, tudo isso baseado em turnos.

Por hora, não há data de lançamento (apenas que deve acontecer neste mês) ou preço para Dungeons of Dredmor, mas o game estará disponível em versões para Windows, Mac e Linux. Assim que algo maior como o lançamento oficial do game ocorrer vocês ficarão sabendo por aqui, mas como até lá não se sabe quanto tempo é necessário esperar ao certo, abaixo fica o último trailer divulgado como aperitivo.

[MAIS INFORMAÇÕES - em inglês]

Terraria: uma alternativa ao Minecraft em 2D e side-scrolling

Sabe o Minecraft!? Aquele game sandbox/building incrível? Ele agora tem um parente distante (ou quase isso) chamado Terraria.

Terraria, mesmo que por algum momento transpareça a semelhança com Minecraft, ainda é uma alternativa ao mesmo, mas realmente distante, e além do mais, a partir de uma outra dimensão (2D) e outra perspectiva de gameplay (side-scrolling).

Escavações, explorações, construções e lutas são apenas algumas das diversas possibilidades que Terraria reserva, mas o que mais fascina é que tudo parece funcionar perfeitamente bem nesse mundo aberto totalmente em 2D baseado no clássico estilo de rolagem lateral que estamos tão bem acostumados. Um tanto quanto aprofundado na ação, Terraria meio que se sobressair em relação ao bom apelo a ação,  já que até PvP online com promessa visível de ação frenética insaciável é certo, isso sem contar na concentração de monstros que o nosso herói deve enfrentar até finalmente poder enfrentar um boss de grande escala.

Inúmeras possibilidades e um estilo próprio fazem deste um game por hora bastante promissor, mas enquanto isso, recomendo que aprecie o vídeo gameplay abaixo e essa série de outros vídeos gameplay acessível bem AQUI.

[MAIS INFORMAÇÕES]

Yokai: primeiro game do recente estúdio independente português 2 Bad Company e seu cativante conceito artístico

Em algum momento do ano passado mockups (confira mais sobre aqui) de um game desenvolvido pelo português Pedro Pitéu prenderam minha atenção com seu maravilhoso trabalho artístico, mas que infelizmente atualmente  foi deixado de lado, todavia o motivo está fortemente relacionado ao novo estúdio 2 Bad Company e ao game Yokai, ambos projetos idealizados pelo próprio Pedro Pitéu.

O recém fundado estúdio 2 Bad Company conta com um pequeno time de dois membros que estão envolvidos no desenvolvimento de Yokai, game de plataforma old-school para PC (Windows). Yokai até o momento não possui muitas informações acerca, sabe-se até então que uma pública alpha demo será liberada em breve e que o game final mesmo deverá ser lançado depois de algum tempo e será dividido em quatro capítulos, alguns materiais como imagens (aqui) em boa qualidade e um empolgante teaser trailer (aqui ou abaixo) estão disponíveis no site oficial  da desenvolvedora.

Ao que tudo indica o personagem enfrentara os obstáculos com ataques básicos vindos de socos e pulos, mas com uma interessante arma; uma transformação que deixa o personagem parecido com uma bola onde suas habilidades visíveis são amortece quedas, anda sobre a agua e flutuar.

Como o game encontra-se em um estágio de desenvolvimento ainda promissor, talvez o que resta fazer agora é continuar curtindo os materiais de mídia divulgados e aguarda a alpha demo do game, que pelo menos é indicada para breve.

[OUTRAS INFORMAÇÕES]

Jamestown: um old-school shooter encantador com coração de new-school

Ao que tudo indica, o game Jamestown: Legend of the Lost Colony do pequeno estúdio Final Form games de três homens indie está cada vez mais próximo do seu lançamento, e graças a isso, você fica cada vez mais próximo de jogá-lo. Inspirado no inesquecível estilo old-school que os shooters do gênero eram trabalhados na sua época de ouro, Jamestown promete balançar este nicho fortemente e agora carregando o singelo estilo new-school com um impressionante cuidado em todos os detalhes,  que inclusive começam no belíssimo trabalho artístico 2D em pixel arte e sua melhor impossível trilha sonoro — que recebeu uma honrada menção e tudo no IGF deste ano.

Jamestown é um arcade shooter top-down que inova no multiplayer co-op de 1-4 pessoas cuja história acerca passa em pleno século 17 em um denominado “novo mundo” que encontra-se completamente dominado por guerras implacáveis e sangrentas repleto de muitos segredos e claro, ação frenética para você e seus amigos em suas empreitadas explorando este sensacional mundo dentro de naves unicamente projetas para cada.

O game vai conta com quatro naves de habilidades diferentes, modo campanha épico, exuberante visual em pixel art pintado à mão, emocionante co-op, single-player clássico com direito a online leaderboards e o melhor do old-school shooter e new-school juntos.

Previsto para PC no verão do hemisfério norte deste ano (provavelmente em junho por aqui) e futuramente para outras plataformas, preço e data certa ainda não foram divulgados, mas você pode conferir várias outras informações sobre o game e o seu desenvolvimento AQUI no site da desenvolvedora ou AQUI no próprio site oficial do game, assim que surgirem mais novidades eu estarei passando para vocês aqui no blog.