Review: The Tiny Bang Story

The Tiny Bang Story, point-and-click desenvolvido pelo estúdio russo Colibri Games, propõe uma deliciosa variação entre seu gênero e games hidden object num planeta um tanto quanto nonsense extremamente rico em detalhes artísticos encantadores.

Sobre o calmo planeta fictício Tiny Planet, cuja colisão de um asteróide bagunçou um monte de coisas — The Tiny Bang Story faz deste pretexto um motivo para você arrumar uma bagunça que aparentemente nem é tão grande assim, mas como a população do tal planeta é representada por pessoas mais velhas, somente você, jovem jogador pode restaurar a estabilidade perdida. Em si, os motivos pelo qual você está ali, fazendo aqueles objetivos serem compridos, não é o mais envolvente de todos, mas os mesmos conseguem movimentar uma boa satisfação.

Os objetivos em The Tiny Bang Story são bem diretos, você encontra algo que aparentemente precisa de ajustes, dá aquele clique em tal local que apresenta indiferença com o restante do cenário e se compromete a resolver aquele problema. Conforme você se compromete a resolver os problemas de cada cenário seus objetivos ficam claros na lateral e para solucioná-los é necessário cumpri requisitos que quase sempre serão voltados a coleta de quantidades determinadas de objetos escondidos para então conseguir o “objeto chave” necessário para realizar atos maiores no planeta. Dependendo do objeto chave que você conseguir alcançar, você será levado a um puzzle próprio que é na maioria das vezes responsável pela a realização dos mencionados atos maiores dentro do planeta.

Alguns puzzles são mais distintos que os outros e acabam apresentando conceitos e formas de soluções diversificadas, como, por exemplo, montar quebra cabeças, reestruturar máquinas fragmentadas procurando por suas partes escondidas e muitas outras possibilidades até mais atrativas que os puzzles mais comuns do game que envolvem a caça pelos objetos escondidos.

Em cada cenário você vai deparar-se com uma concentração de objetos escondidos e esses objetos estarão quase sempre localizados em lugares óbvios e que muitas vezes serão fáceis e ao mesmo tempo embaraçosos de serem identificados. Dentre os objetos escondidos, os identificáveis mais facilmente são as peças do quebra cabeça do planeta, pois mesmo com sua preocupação em assimilar com o cenário, as bordas entregam facilmente sua identificação em poucas observações.

Para ajudá-lo a encontrar objetos mais difíceis de serem identificados existe um ponto de exclamação na lateral que você pode recorrer quando precisar, mas não trata-se exatamente de um walkthrough, já que o mesmo está mais para um guia. A utilização do ponto de exclamação é acessível somente quando você coleta moscas, essas moscas podem ser encontradas facilmente em qualquer cenário, mas lembre-se, quando utilizado, o ponto de exclamação deverá ser recarregado com mais moscas e sua função é apenas guiá-lo até o objeto não identificado mediante uma mosca especial de cor vermelha. Em alguns puzzles mais complexos o ponto de exclamação provavelmente ficará acessível sem delongas, mas agora como um walkthrough, porém não espere a solução para seus problemas porque o mesmo propõe noções básicas para se chegar em uma solução, ou seja, nada de soluções diretas.

Algo incomodo, ainda que aceitável, principalmente porque The Tiny Bang Story é um game bem entregue para o lado casual, é a dificuldade dos puzzles, que acredito que infelizmente não passa do médio, fora que não funciona naquele conhecido esquema crescente, ou seja, os puzzles podem apresentar novidades num primeiro momento, mas ainda sim o nível de dificuldade deixa a desejar, provocando até um pouco de receio quanto ao tempo de gameplay entregue, que estipulo em um pouco mais de quatro horas, um tempo bem curto, especialmente para um point-and-click. Existe um pequeno fator replay que possibilita novamente a realização de todos os puzzles mais complexos presenciados durante seu caminho até o fechamento, aliviando um pouco da dor que é chegar no fechamento do game.

Acerca do trabalho artístico passado em The Tiny Bang Story, este é sem duvida o responsável por toda a essência do game, que aliás é feita por uma variedade de cenários desenhados a mão incríveis que caracterizam perfeitamente a exuberante beleza natural do intrigante Tiny Planet.

Em suma, The Tiny Bang Story é uma excelente pedida ao gênero point-and-click com algumas variações aprimoradas, mas algumas considerações devem ser levadas adiantes porque este é um game bem casual dentro do nicho que está classificado, então é difícil dizer se faz jus a compra caso você curta um game do gênero do tipo old-school, por exemplo.

[EXPERIMENTE O GAME]

( WIN | MAC )

[COMPRE O GAME]

COMPRE THE TINY BANG STORY ( WIN ) NO STEAM POR $9.99 (EM USD)
COMPRE THE TINY BANG STORY ( WIN | MAC ) NO GAMERSGATE POR $9.95 (EM USD)

4 comentários em “Review: The Tiny Bang Story”

  1. Realmente esse jogo é ótimo fechei ele hoje…e estou adorando o site sempre mostrando jogos diferentes dos habituais abraços…

  2. Gostaria de uma ajudinha do ultimo enigma (das valvulas para liberar água). Se alguem puder me ajudar, realmente não estou achando uma logica. Obrigada

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s